Página Inicial > Tecnologia > Gadgets > Tudo sobre o Projeto ARA do Google que promete revolucionar a indústria

Tudo sobre o Projeto ARA do Google que promete revolucionar a indústria

Uma noite antes divisão do Google responsável pela Tecnologia e Projetos Avançados (ATAP – Advanced Technology and Projects) apresentar o seu primeiro e único protótipo funcional Projeto Ara para uma sala cheia de investidores ávidos, alguém deixou o telefone cair o telefone e quebrou o display.

Para qualquer outra empresa prestes a apresentar um novo produto, este seria pior cenário ou um verdadeiro pesadelo. Mas não para o Google: a empresa fez uma limonada com apenas um limão transformando uma suposta catástrofe em uma forma de demonstrar seu produto. Daqui a um ano, quando o Ara for lançado, situações dolorosas como esta podem ser facilmente corrigida, basta comprar um novo visor e troca-lo, facilmente.

Obviamente, a apresentação poderia ter sido muito melhor, se os investidores pudessem brincar com um protótipo funcional, no entanto, todos foram capazes de lidar com a situação do Projeto Ara e com seus primeiros módulos.

O que exatamente é o Projeto ARA?

O Projeto Ara do Google traz o conceito de um smartphone modular à realidade; um dispositivo que pode ser moldado de acordo com sua necessidade, como um LEGO. O Ara é composto por um endoesqueleto de metal, que é essencialmente a coluna vertebral do telefone, e slots para componentes substituíveis conhecidos como módulos. Estes módulos podem ser classificados em duas classes: A e B

AFundamentais, necessárias para o funcionamento do dispositivo: processador, memória RAM, WiFi, alimentação, display, bateria.

BOpcionais, que podem ser removidas ou adicionadas e o dispositivo continuará funcionando normalmente, como: câmera, alto-falantes, espaço de armazenamento e outros.

Cada módulo irá se conectar com as outras partes do aparelho, trabalhando através de interconexões capacitivas, que são conectores essencialmente sem fio que são menores do que os pinos padrão. Serão usados ímãs eletropermanentes, que não só serão usados para manter os módulos no lugar, mas como também como um interruptor, permitindo a você facilmente ligar ou desligar os módulos. Como mencionado anteriormente, todos os módulos podem ser trocados de acordo com sua conveniência.

A ATAP planeja projetar o ARA em três tamanhos diferentes, que vão desde a menor opção, com seis módulo até modelos gigantes, que suportam diversos módulos simultaneamente.

Como o ARA será útil aos consumidores?

À primeira vista, o ARA soa quase como um projeto que só apela mesmo para os consumidores que gostam e construir seus próprios computadores a partir do zero, mas a ATAP insiste, esse dispositivo será uma revolução nos mercados emergentes – mais especificamente, as cinco bilhões de pessoas na Terra que possuem telefones simples e podem se dar ao luxo de obter qualquer coisa mais cara.

Hoje, a divisão anunciou que está planejando lançar um “Grey Phone”, uma espécie de kit básico, que é simplesmente um dispositivo de pré-embalado que vem com apenas uma tela, processador e um módulo WiFi. A partir daí, os usuários podem facilmente adicionar e remover componentes como entenderem. Vai ser relativamente barato – o produto custaria apenas 50 dólares para ser produzido pelo Google, apesar de preço de venda ainda não ter sido determinado, os usuários que possuem um orçamento mais apertado, podem facilmente adicionar ou atualizar módulos sempre que se darem ao luxo.

A longevidade é outro fator muito importante; enquanto a maioria dos smartphones de hoje mal conseguem durar dois anos, o Ara será feito para durar por vários anos. Isso significa que ele provavelmente vai ser muito mais barato a longo prazo, fazendo com que menos telefones parem na lixeira.

Você só paga pelo que usar

De acordo com a ATAP, um dispositivo como ARA trará o poder da escolha para as mãos do consumidor. Comprar um smartphone muitas vezes parece como um jogo – uma questão de sacrificar algumas características a favor de outras. Com Ara, você será finalmente capaz de determinar exatamente quais funções você precisa em seu telefone. Em essência, parece que o Google está se preparando para “perturbar” os fabricantes de celulares tradicionais, como a Samsung, HTC e LG (assim como as operadoras), uma vez que o consumidor médio não precisa passar por essas empresas e se sujeitar à seus preços abusivos para comprar um telefone.

Infinitas possibilidades

Quando se trata de que tipo de módulos estarão disponíveis, o céu é o limite. A ATAP já começou a oferecer um kit de desenvolvimento para quem já quiser começar a montar seus próprios módulos, tornando infinitas as possibilidades de uso.

Um exemplo mostrado foi um medidor de pulso, um longo módulo que ficou em destaque, se estendendo para além chassis do telefone; foi apresentado também um módulo de câmera de pode facilmente adaptada diferentes tipos de lentes. A medida em que o evento prosseguia, iam surgindo diversas ideias entre os desenvolvedores para futuros módulos, como leitor de cartão de créditos, por exemplo.

Expectativas e prazos de lançamento

O Projeto Ara está no meio de uma missão de dois anos. O prazo final é uma motivação extra para o punhado de empregados que estão 100% envolvidos com o projeto, trabalhando em tempo integral, como o prazo esperado foi elevado várias vezes durante a conferência. Não há nenhum tempo para atrasos, o que torna este projeto ainda mais emocionante – se ele realmente for acontecer, precisa estar pronto no próximo ano. A ATAP não está correndo apenas contra o relógio, eles possuem muitas outras coisas para fazer, como: atrair mais desenvolvedores, realizar demonstrações em escalas convincentes e obter os consumidores interessados ​​em dar uma chance a um novo tipo de smartphone. Não vai ser fácil, mas será uma viagem fascinante que todos iremos assistir e torcer.

Confirua todas as imagens tiradas durante o do projeto no Engadget.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *